top of page
Home: Blog2
  • Foto do escritorRita Cardoso

Brasil - Cataratas do Iguaçu, Foz do Iguaçu

Como descrever uma das maravilhas da Natureza que mais falada e visitada é no Mundo? As palavras podem não ser suficientes, mas vou tentar.



As Cataratas do Iguaçu são um sistema do rio Paraná (8° maior do Mundo), que pode ir aproximadamente de 160 a 275 cascatas, dependendo do caudal com que chega à zona de queda de água.

A quantidade de água que se vê cair, o som das fortes cascatas, as cores da natureza em volta e a água a bater na cara fazem desta experiência, uma experiência visceral e inesquecível. Só dizer que é bonito e maravilhoso, não chega.

São quase 3 km de extensão de quedas de água envoltas em floresta tropical, num Parque Nacional que é dividido entre o Brasil e a Argentina.

Um facto curioso, é que as Cataratas do Iguaçu não se encontram no mesmo local onde se situavam há 200 mil anos atrás quando se formaram. Devido à erosão, foram recuando do local que hoje é conhecido como “as três fronteiras” até ao local onde estão hoje, 23 km de distância!



De todas elas, existe uma que é considerada mais imponente, a Garganta do Diabo, uma poderosa cascata de 80 metros e com um fluxo de 1500 metros cúbicos de água, por segundo! É neste ponto que há um passadiço que nos leva bem perto da água e a começamos a sentir, que em dias de calor, dá uma frescura bem necessária.




Parque Nacional Cataratas do Iguaçu – Brasil


Do lado do Brasil, existe um único trilho com cerca de 1500 metros linear. Não é difícil, mas é a subir e descer e em dias de calor com alguma humidade, algumas zonas tornam-se num suplício. (Nota: Talvez não queiram escolher ir de tarde e em plenas férias de Verão no Brasil como eu e talvez seja mais agradável. Conselho de amiga!)

Para ter acesso ao parque, o melhor é comprar o bilhete online com pelo menos um dia de antecedência e escolher um horário bem cedo (o primeiro horário é às 8h00). Dá para comprar os bilhetes no local, mas é também usando quiosques electrónicos (chama-se auto atendimento). Quando se compra o bilhete, é-se colocado em grupos consoante o horário escolhido, primeiro horário, grupo 1, segundo horário grupo 2 e por aí fora. Por isso caso tenham comprado um bilhete para um horário mais tarde, mas tenham chegado mais cedo, não vão conseguir entrar. Existe um quiosque de reagendamento de horário, mas vai depender da disponibilidade do dia. Caso cheguem mais cedo e não consigam o reagendamento, existe um espaço exterior com mesas e cadeiras, onde podem comer, seja comida trazida de casa, ou comprada lá num dos quiosques/restaurantes. Nesta área há também acesso a WiFi gratuito.


O Parque - organização e mapa


Quando chega a hora da nossa entrada, vamos para uma fila, onde verificam se estamos no horário certo, e somos encaminhados para vários autocarros que nos levam a 3 paragens possíveis ao longo de 14km:

1° - Macuco Safari - paragem para quem vai fazer o passeio de barco junto às cataratas. Ou tomar um grande banho também, vimos estas tours lá de cima do trilho e eles passam com o barco todo debaixo de uma queda de água. Não me pareceu muito divertido, mas, fica ao critério de cada um. 😂

2° - Parada das Cataratas - Início do trilho de 1500 m. Este trilho acompanha sempre a extensão das Cataratas do Iguaçu, com diversos pontos e miradouros para tirar umas bonitas fotografias e ficar a contemplar (se não tiverem milhentas pessoas à frente e atrás de vocês à procura de um lugarzinho também). Durante este caminho há alguns locais de hidratação, com quiosques de venda de bebidas e snacks, casas de banho e WiFi grátis nestes pontos.

3° - Porto Canoas - Final do trilho. Neste ponto, estamos na Garganta do Diabo. Aqui há um elevador que dá acesso directo ao final do trilho e passadiço que leva à zona mais próxima das cataratas. Há também todo o tipo de ofertas turísticas, lojinhas, quiosques, restaurante, casas de banho, venda de fotos profissionais excessivamente caras em frente às cataratas, etc. Se querem gastar dinheiro, é aqui! 😅

Aqui, de novo, forma-se outra fila, mas esta por ordem de chegada para apanhar um autocarro de volta para a entrada/saída do parque. O tempo de duração de visita não é limitado, desde que se saia até à hora de encerramento, claro. Desde a fila de entrada do nosso grupo até sair do parque, demorámos 3h30, sendo que uma hora foi em filas.



Lenda das Cataratas


"O Parque Nacional do Iguaçu salvaguarda a história da conservação da natureza no Brasil e as memórias da ocupação pretérita da região. É testemunho de fatos, lendas e estruturas que são referências da transformação da paisagem, tais como os sítios arqueológicos, a cultura indígena, a lenda das Cataratas, as antigas vilas, estradas e usina São João. Conta-se que os índios habitantes das margens do Rio Iguaçu, acreditavam que o mundo era governado por M'Boy, um deus que tinha a forma de serpente e era filho de Tupã. Igobi, o cacique dessa tribo, tinha uma filha chamada Naipi, tão bonita que as águas do rio paravam quando a jovem nelas se mirava. Devido à sua beleza, Naipi era consagrada ao deus M'Boy, passando a viver somente para o seu culto. Havia, porém, entre os índios, um jovem guerreiro chamado Tarobá que, ao ver Naipi, por ela se apaixonou. No dia da festa de consagração da bela índia, enquanto o cacique e o pajé bebiam cauim (bebida feita de milho fermentado) e os guerreiros dançavam, Tarobá aproveitou e fugiu com a linda Naipi numa canoa rio abaixo, arrastada pela correnteza. Quando M'Boy percebeu a fuga de Naipi e Tarobá, ficou furioso. Penetrou então as entranhas da terra e, retorcendo o seu corpo, produziu uma enorme fenda, onde se formou a gigantesca catarata. Envolvidos pelas águas, a canoa e os fugitivos caíram de grande altura, desaparecendo para sempre. Diz a lenda que Naipi foi transformada em uma das rochas centrais das cataratas, perpetuamente fustigada pelas águas revoltas. Tarobá foi convertido em uma palmeira situada à beira de um abismo, inclinada sobre a garganta do rio. Debaixo dessa palmeira acha-se a entrada de uma gruta sob a Garganta do Diabo onde o monstro vingativo vigia eternamente as duas vítimas."



Recomendações:

  • Verificar o tempo antes de ir e levar roupa confortável adequada ao clima.

  • Tentar ir em horas de menor fluxo de pessoas para se apreciar com calma, primeiras horas da manhã ou última de todas.

  • Ir preparado com calçado confortável para fazer o trilho.

  • Há locais de paisagem protegida, traz o teu lixo e mais algum se encontrares.

  • Levar comida e água se quiser poupar, pois dentro do parque os produtos são sempre um pouco mais caros.

  • Levar sempre uma peça extra de roupa impermeável, pois se estiver nublado e algumas nuvens pode ficar-se com frio se estiver com a roupa húmida (eu pelo contrário não precisei do impermeável pois estava tanto calor que soube bem o fresco da água. No entanto usei a capa impermeável da mochila e ainda bem, ficou tudo encharcado.)


Clica aqui para ver a minha lista de sugestões de locais a visitar em Foz do Iguaçu.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Tens perguntas?

  • instagram

Segue-me no Instagram

Thanks for submitting!

Iceland
Home: Contact
bottom of page