top of page
Home: Blog2
  • Foto do escritorRita Cardoso

S. Miguel, Açores | Parque Terra Nostra

Atualizado: 28 de nov. de 2022

(English below)


Dentro da Cratera das Furnas, com 7km de diâmetro, especialmente no chamado Vale das Furnas, havia centenas de nascentes termais, devido à actividade vulcânica da área. Todas estas nascentes de águas minerais, variadas e com as mais diversas propriedades, despertaram o interesse da população, que começaram a usá-las com fins medicinais para o reumatismo e a obesidade, por exemplo.

Ora então, o Parque Terra Nostra situava-se bem no meio de todas estas nascentes. Mas não começou com este nome, nem com a dimensão e configuração que hoje apresenta, com os seus 12,5 hectares e o magnífico tanque termal ao centro.

Por volta de 1775, Thomas Hickling mandou construir uma casa de madeira (Yankee Hall) ao pé deste tanque termal, na altura mais rústico e menor, mas já com a pequena ilha central que se encontrava ligada à margem por uma ponte. Rodeou também este tanque com árvores e foi assim que nasceu este lindo parque. Ao longo dos anos, o parque foi sofrendo alterações, a casa de madeira foi substituída, as plantas foram sendo alteradas, apesar de ainda se poder ver junto ao tanque, um enorme carvalho inglês plantado por Hickling. Até que o parque foi deixado ao abandono e estava já em grande estado de degradação no início do século XX.

Eis que, mesmo ao lado, em 1935 abre ao público o Hotel Terra Nostra, e uns anos depois a Sociedade Terra Nostra adquire toda a propriedade e, durante a sua restauração passa o parque a ter a sua configuração actual. A casa do Parque foi renovada, o tanque termal foi ampliado e forrado com pedra de cantaria e todo o jardim e matas foram restauradas, criando também novos espaços icónicos.

Este jardim de grande importância botânica, foi novamente renovado no Inverno de 1992/1993 preparando-o sustentavelmente para o desenvolvimento futuro.

Neste incrível parque, existem variadíssimos exemplares de flora endémica dos Açores, bem como, incontáveis espécimes exóticos de locais como a Nova Zelândia, Austrália, China, África do Sul e América do Norte. Para manter a harmonia e adaptação de todas estas espécies são necessários muitos cuidados por parte de especialistas para garantir que estas plantas se desenvolvem. Para mais informações sobre o parque, a sua história e as plantas que lá encontram, cliquem aqui.

Entre os locais mais atractivos do parque, destacam-se as grutas, o jardim das Bromeliáceas, o Jardim da Flora Endémica e Nativa dos Açores, a colecção de mais de 600 exemplares diferentes de Camélias, os topiários com formas de animais, o Lago de Água Vulcânica com as suas bolhinhas na água quente, o canal de água serpentiforme e ainda os caminhos e avenidas ladeados de árvores e fetos, não esquecendo um dos mais populares, o tanque termal com águas amarelas férreas e temperaturas a rondar os 25ºC.

Perco-me sempre neste parque de tão bonito que é, e mesmo que tenha muitos visitantes, é sempre possível encontrar recantos e recantinhos sem ninguém.

A nossa última visita foi num dia quente de Agosto, por isso não nos apeteceu ir para dentro de água quente, apesar de o resto do parque ser fresco e agradável devido às plantas e árvores altas, com muitas sombras, mas não percam a experiência, se possível reservem um dia mais fresco para visitar. Mesmo sem ir ao tanque termal, vale muito a pena a visita ao parque.


Recomendações:

  • Trazer um fato de banho mais escuro ou mais antigo, pois a água férrea vai manchar tecidos claros e vão precisar de um bom banho a seguir para retirar os restos do corpo.

  • Não é permitido comer no parque, mas há um restaurante do hotel que tem conexão ao parque. Uma refeição neste restaurante, oferece entrada no parque. Este restaurante é conhecido por terem um bom Cozido das Furnas.

  • Vão com tempo, o horário do parque não é muito alargado, mas vale a pena explorar cada canto.

  • aqui os preços e horários.

  • aqui a sugestão de roteiros por estação do ano e o mapa do parque.


Clica aqui para ver a minha lista de sugestões de locais a visitar em S. Miguel.



 

Inside the Furnas Crater, 7km diameter, especially in the so-called Vale das Furnas, there were hundreds of thermal springs, due to the volcanic activity of the area. All these mineral waters springs, varied and with the most diverse properties, aroused the interest of the population, who began to use them for medicinal purposes, for rheumatism and obesity, for example.

And, the Terra Nostra Park was located right in the middle of all these springs. But it did not start with this name, nor with the dimension and configuration that it has today, with its 12.5 acres and the magnificent thermal tank in the center.

Around 1775, Thomas Hickling ordered the construction of a wooden house (Yankee Hall) at the foot of this thermal tank, rustic and smallest than now, but already with the central island and a small bridge. He surrounded this tank with trees and that was how this beautiful park was born. Over the years, the park has undergone some changes, the wooden house has been replaced, the plants have been changed, although it is still possible to see next to the tank, a huge English oak planted by Hickling. Until the park was abandoned and reached a great state of degradation at the beginning of the 20th century.

Until one day, right next door, in 1935 the Hotel Terra Nostra opens to the public, and a few years later the Terra Nostra Society acquires the entire property and, during its restoration, the park takes on its current configuration. The park's house was renovated, the thermal tank was expanded and lined with stonework and the entire garden and woods were restored, and were also created new iconic spaces.

This garden of great botanical importance, was renovated again in the winter of 1992/1993, preparing it sustainably for future development.

In this incredible park, there are many species of endemic flora from the Azores, as well as countless exotic specimens from places like New Zealand, Australia, China, South Africa and North America. To maintain the harmony and adaptation of all these species, a lot of specialists’ care is necessary to ensure that these plants develop healthily. For more information about the park, its history and the plants that you can found there, click here.

Among the most attractive places in the park are the caves, the Bromeliad garden, the Endemic and Native Flora garden of the Azores, the collection of more than 600 different species of Camellias, the animal-shaped topiaries, the Volcanic water Lake with its bubbles in the hot water, the serpentiform water channel and the paths and avenues lined up with trees and ferns, not forgetting one of the most popular, the thermal tank with yellow iron waters and temperatures around 25ºC.

I always get lost in this park, as it is so beautiful, and even if it has many visitors, it is always possible to find corners and spaces without anyone.

Our last visit was on a hot August day, so we didn't feel like going into the hot water, although the rest of the park is cool and pleasant due to the tall plants and trees, with lots of shadows, but don't miss out on the experience, but if possible, reserve a cooler day to visit. Even without going to the thermal pool, it is very worth the visit to the park.


Recommendations:

  • Bring a darker or older swimsuit, as iron water will stain light fabrics and, you will need a good shower afterwards to remove the remains of the body.

  • Eating in the park is not allowed, but there is a hotel restaurant that is connected to the park. A meal in this restaurant offers entrance to the park. This restaurant is known for serving a very good Cozido das Furnas.

  • Go with time, the opening hours are not very long, but it is worth exploring each corner.

  • Check here prices and schedules.

  • Check here to see the suggested itineraries by season and the map of the park.



Click here to see my list of suggestions of places to visit in S. Miguel.

603 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Tens perguntas?

  • instagram

Segue-me no Instagram

Thanks for submitting!

Iceland
Home: Contact
bottom of page